Resenha: Wisache – Polluted (2007)

“… eles não vieram para reinventar a roda, mas sim para fazê-la girar da maneira correta…”

1200x630bf

Por Rodrigo Cordeiro.

Um dos melhores discos de Rock ‘não lançados’ do Brasil.

Pra quem não conhece, a Wisache, é uma banda Belo Horizontina que se destaca no underground nacional desde 2003,  sempre pioneira em intercâmbios musicais agregando força nas cenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, é uma das bandas de maior representatividade e qualidade no Rock n Roll mineiro.

Entre alguns términos, pausas, voltas, pausas de novo e mudança de formação, a Wisache voltou definitivamente a ativa em 2016 lançando um novo single, ‘Desert’ (ouça aqui), que apesar de ser uma grande música e tendo marcado a nova fase da banda, não será o foco da resenha, vou falar aqui sobre o primeiro ‘CD Full’ da Wisache.

Lançado em 2007, o Polluted não teve a merecida atenção na época e sim, quase 10 anos depois ainda é um disco atual e com muito feeling que você PRECISA escutar! O cd infelizmente não contou com um lançamento oficial, nem com distribuição a crítica especializada ou tiragem física pra atender a toda demanda, isso aconteceu devido a todas idas e vindas da banda, sendo assim, não teve seus – mais que justos – créditos, e tanto tempo depois é isso que vou fazer nessa resenha, pra acompanhar de o Play aqui enquanto falo das músicas!

Nesse cd a banda contava com Rod Wisache (vocais), Beto Lani (Guitarras), Rick Kilcher (Baixo) e Ghuzz Moreira (Bateria).

Se você gosta de Rock n’ Roll, seja do clássico ao Heavy Metal, esse cd cabe direitinho em sua playlist, um mix de músicas diretas, melodias agressivas e lindas com uma energia de ponta a ponta que é despejada de forma única pela banda. Com muita personalidade e maturidade musical, o Cd não fica atrás das grandes bandas do estilo. Em 12 faixas e pouco mais de 50 minutos de Rock n Roll direto, a banda explora ao limite os vocais ‘gritados’ e cheios de drive, guitarras presentes, lindas harmonias, com solos super melódicos – ao melhor estilo ‘Slash’ – e uma cozinha sem firulas que entrega a sustentação necessária para as músicas brilharem.

Uma das características mais interessantes da Wisache é saber mesclar com muita classe toda sua agressividade com partes cheias de dinâmica baixa e refrões ‘sing along’, tais características, presente meticulosamente em algumas faixas, fazem com que as músicas tomem uma forma única e evita a fadiga sonora do ouvinte, fugindo do óbvio a todo momento. No Polluted, fica claro que eles não vieram pra reinventar a roda, mas sim pra fazê-la girar da maneira correta. A banda sempre foi uma bomba relógio prestes a explodir, para quem acompanha a trajetória dessa galera, a torcida é sempre para que explodam para o lado certo e deem continuidade no trabalho, pois mesmo com toda a inconstância em sua história a banda nunca deixou de ser presente e tem fãs fiéis, coisa muito difícil num momento onde a música é tão descartável e obsoleta. É uma banda que tem mais de 10 anos de carreira, mas que cada vez que ‘reaparece’ é um sopro de ar fresco pra quem gosta de música bem feita. Se você não conhece e quer começar o play, te sugiro ouvi-lo na íntegra, quando Spit Screamin começar você não vai conseguir mais pular nenhuma faixa! Destaco Sides Apart, Rock n’ Rolled,  Turnin Red e a já ‘clássica’ Shout It, provavelmente a música mais conhecida da banda.

14222083_1462581240435730_2956006532705281140_n

Pra finalizar, vale lembrar que a banda fará a abertura do show do Sebastian Bach, em Belo Horizonte no Music Hall dia 15 de outubro, e ja está prestes a entrar em studio para gravar o sucessor do Polluted, a formação atual da banda conta com:

Rod Wisache (Voz)

Ghuzz Moreira (Bateria)

Bruno Musashi (Guitarra Base)

Bernardo Brandão (Baixo)

Beto Lani (Guitarra Solo)

Pra ficar ligado nas novidades da banda basta acessar:
Http://www.wisache.com

https://www.facebook.com/wisacheband